uol.com.br

A ideologia da revolução cognitiva IV: biometria facial, espelho do selfie

As aulas da tarde estavam começando quando Nikolas Jacob Cruz desceu de um Uber, entrou na Escola Secundária Marjory Stoneman Douglas e passou a atirar indiscriminadamente contra alunos e professores do primeiro andar.

A ideologia da revolução cognitiva IV: biometria facial, espelho do selfie

Dezessete mortes e seis minutos depois, parou no Starbucks ao lado para um refrigerante e foi comer no McDonald’s, certo de que havia batido o recorde na prova de massacre escolar.

As discussões que seguiram foram dominadas pelos temas do controle sobre a compra de armas – o fuzil utilizado fora comprado legalmente dois anos antes – e sobre o xenofobismo desavergonhado, que Nikolas exibia em suas redes sociais.

Veja o artigo original
Formulário de Contato